alzheimer-conheca-mais-sobre-essa-doenca-degenerativa

Doença de Alzheimer  | Conheça Mais Sobre Esse Problema Neurodegenerativa

por | 01/02/2022

O que é a Doença de Alzheimer?

A Doença de Alzheimer é um tipo de demência que afeta principalmente a memória e demais funções mentais.

Trata-se de uma doença neurodegenerativa, isto é, que causa a degeneração progressiva ou morte de células responsáveis pelas funções do sistema nervoso. Segundo a iniciativa global de pesquisa de doenças neurodegenerativas, The EU Joint Programme – Neurodegenerative Disease Research (JPND), tratam-se de condições incuráveis e que debilitam o indivíduo, gerando problemas de movimento, demências, alterações comportamentais e outros sintomas neurológicos.

Não existe uma causa conhecida para a doença de Alzheimer, mas as principais hipóteses têm a ver com a genética. Pode também ter relação com alterações como acúmulo de proteínas no cérebro, diminuição em neurotransmissores, e até mesmo alguns hábitos durante a vida que desencadeiam o problema.

Por ser uma doença neurodegenerativa não existe cura, mas é possível fazer tratamento para retardar a doença e proporcionar maior qualidade de vida ao paciente.

A Doença de Alzheimer se manifesta através de estágios. Em algumas pessoas esse processo é mais lento, em outras, os sintomas evoluem rapidamente logo nos primeiros anos. Por isso, quanto mais rápido o tratamento no Instituto Neurológico do Espírito Santo começar, mais efetivos são os resultados. 

Saiba Tudo Sobre a Doença de Alzheimer

Preparamos algumas informações relevantes, baseadas em estudos científicos e especialistas, para você entender melhor sobre a doença de Alzheimer, seus sintomas, diagnóstico, estágios e tratamento. Confira:
Sintomas
O paciente que tem alguma doença neurodegenerativa geralmente não percebe os sintomas, o que pode acabar entardecendo o tratamento, já que a doença evolui rapidamente.

Muitas pessoas também encaram os esquecimentos como próprios da velhice, então o paciente ou a família precisam estar atentos a mudanças de comportamento e alterações na memória recente que vão piorando com o tempo, para assim buscar um Instituto Neurológico do Espírito Santo.

Os especialistas citam que os sintomas da Doença de Alzheimer se manifestam em estágios. Veja a seguir como os sinais aparecem em cada um deles.

Estágios da Doença de Alzheimer
De acordo com o Dr. Drauzio Varella, a doença de Alzheimer se manifesta em estágios, mais especificamente em quatro formas: inicial, moderada, grave e terminal. A partir do diagnóstico, a duração do estágio 1 ao 4 oscila entre 8 e 10 anos.

Estágio 1: é o início da doença, onde ocorrem as primeiras alterações de memória, personalidades e algumas habilidades.
Estágio 2: surgem problemas mais acentuados de raciocínio e memória, além de dificuldade na fala e coordenação, além de agitação e insônia.
Estágio 3: memória mais afetada, delírios, resistência e dificuldade na execução de tarefas do dia a dia, como comer e caminhar.
Estágio 4: o paciente já fica acamado, não fala, pode ter dor ao engolir e infecções.

Diagnóstico
O diagnóstico da doença de Alzheimer, assim como qualquer outra doença neurodegenerativa, deve ser feito por um médico especialista.

No Instituto Neurológico do Espírito Santo, são feitos testes cognitivos, exames laboratoriais e avaliação de imagem do sistema nervoso central, para assim diagnosticar com precisão a condição.

O médico avalia os sintomas e os resultados dos exames e descartam qualquer possibilidade de outros tipos de doença neurodegenerativa, doenças cerebrais, tumores AVC, etc. que poderiam causar sintomas parecidos, para assim confirmar o diagnóstico correto da Doença de Alzheimer.

Tratamento
A doença neurodegenerativa ainda não tem cura, mas os tratamentos ajudam a diminuir a velocidade da evolução da doença, promovendo uma vida mais tranquila e de qualidade para o paciente.

O Dr. Drauzio Varella confirma que existem medicamentos que estão sendo desenvolvidos para o controle da Doença de Alzheimer, mas estes ainda estão em fase experimental.

A Associação Brasileira do Alzheimer (ABRAz) fala sobre os tratamentos não farmacológicos, isto é, aqueles que não usam medicamentos.

Esse tipo de tratamento da Doença de Alzheimer envolve a estimulação cognitiva, social e física. Alguns exemplos são jogos, desafios mentais, histórias, caminhadas, exercícios e o próprio convívio social, com atividades em grupo e em família.

Quando a doença neurodegenerativa avança, é necessário a ajuda de um cuidador, para garantir que o paciente realize as atividades básicas do dia a dia em segurança, a fim de evitar acidentes. Nos estágios mais graves, já pode ser necessário intervenções que ajudem na locomoção e alimentação.

No INEST – Instituto Neurológico o Espírito Santo – os tratamentos indicados para Doença de Alzheimer incluem medicações e estímulos como a fisioterapia, terapia ocupacional e psicoterapia. 

A Doença de Alzheimer tem Prevenção?

Como não existe uma causa específica para a doença de Alzheimer, é difícil saber as formas exatas de prevenir o surgimento. Mas existem alguns fatores que são considerados de risco para o desenvolvimento da condição, segundo estudos médicos.

O periódico médico Journal of Neurology, Neurosurgery & Psychiatry lançou, em 2020, um estudo relacionado às evidências sobre a prevenção da doença de Alzheimer. Segundo a análise, algumas das causas são índice de massa corporal elevado no final da vida, depressão, estresse, diabetes, hipertensão, tabagismo, sono, sedentarismo e obesidade são alguns desses fatores de risco.

Inclusive, a Organização Mundial de Saúde (OMS), já divulgou algumas recomendações para a prevenção da doença neurodegenerativa. De acordo com o órgão, praticar atividades físicas regularmente, manter uma boa alimentação, não fumar e controlar a pressão arterial e o nível de açúcar no sangue ajudam a reduzir as chances de manifestação da demência.

Também é importante cuidar da mente, mantendo-a ativa, como através de atividades que estimulem o cérebro a aprender coisas novas. Atividades físicas também são muito importantes para estimular a mente e também fortalecer o corpo. Ter boas noites de sono também contribuem para a prevenção da Doença de Alzheimer, pois melhora a memória e o raciocínio.

No INEST – Instituto Neurológico do Espírito Santo – temos uma equipe de profissionais especializados para oferecer total apoio no diagnóstico e tratamento de todos os tipos de doença degenerativa.

Ao menor sinal suspeito, procure nosso Instituto Neurológico do Espírito Santo. Quanto mais cedo o tratamento da Doença de Alzheimer começar, mais qualidade de vida será possível oferecer ao paciente.

Outras Postagens

O que é o Sistema Nervoso Periférico?

O que é o Sistema Nervoso Periférico?

Visão Geral do Sistema Nervoso Periférico Você já ouviu falar em doenças do sistema nervoso periférico? Não!? Então, é importante ficar atento a este assunto. O sistema nervoso periférico, mais precisamente, é uma das divisões do sistema nervoso central. Nesse...

ler mais
Sequelas cognitivas pós Covid-19

Sequelas cognitivas pós Covid-19

A Covid-19 se tornou um pesadelo na vida de todas as pessoas, principalmente, aquelas que já foram infectadas pelo vírus. Também conhecida como coronavírus SARS-CoV-2, a doença pode provocar sequelas cognitivas, respiratórias ou motoras que exigem cuidados frequentes....

ler mais
Dor de cabeça constante? Entenda a Gravidade

Dor de cabeça constante? Entenda a Gravidade

Dor de cabeça constante? Entenda a Gravidade Sofrer com dor de cabeça é comum no dia a dia das pessoas, principalmente, em situações de ansiedade ou estresse, assim, deve-se ter mais atenção aos seus hábitos para reduzir a dor e melhorar o bem-estar. A dor de cabeça,...

ler mais